Onde encontrar bons coffees shop pelo mundo

Ph: Coffee Collective

 

 

Hoje em dia, o consumo de café está em alta. Não à toa, cerca de 150 milhões de sacos de 60kg de café foram consumidos no último ano. Apesar disso, ainda é fácil encontrar lugares ruins, até mesmo em redes de café famosas nas maiores cidades do mundo, mas das cafeteiras mais modernas aos cafés clássicos da antiga Europa, é possível encontrar ótimas infusões que animam a alma. Confira 7 grandes cafeterias do mundo que valem a pena serem visitados.

 

 

 

1. Barista Parlor, Nashville


Ph: Barista Parlor

 

Aberto em 2011, o Barista Parlor rapidamente se tornou a coffee house mais elogiada da cidade famosa por sua música country. E fica escondido dentro de um lugar interessante, dentro de uma oficina de carros. Enquanto o café é trazido de todo o país, todos os outros componentes da loja como uniformes, decoração e detalhes da loja, são explicitamente de fornecedores locais. A segunda unidade do BP, é uma colaboração com Dan Auerbach do The Black Keys, aberta dentro da antiga dos estúdios da antiga gravadora Golden Sound e a terceira e mais recente, aberta em 2015, estea na Germantown (ou seja bairro da colônia alemã da cidade.

 

 

 

2. Onibus Coffee, Tóquio

Ph: Onibus Coffee

 

Tóquio é repleta de lugares parecidos com o Starbucks, mas especialistas em café e indies estão chegando lentamente no mainstream da capital japonesa. O Onibus Coffee abriu em 2012 como uma empresa produtora de café, antes de abrir uma cafeteria perto da estação Naka-Meguro, no sul de Shibuya.O dono, Sakao Atsushi, se inspirou em uma viagem para a Austrália quando tinha vinte e poucos anos, onde testemunhou em primeira mão a cultura crescente do café artesanal moderno. Atsushi voltou à Tóquio determinado a criar o que ele viu nas cafeterias de rua de Down Under, e então decidiu abrir sua própria produção e local para servir. Em seguida, veio a cafeteria. O local, um antigo restaurante de okayu (mingau de arroz), está entre um parque infantil e os trilhos do trem, e se tornou o paraíso para os passageiros e para várias famílias, ansiosas por um espresso e um lugar confortável para dar uma pausa. Atsushi também vende embalagens lindas de grãos de café de origem e sabores únicos. As embalagens, inspiradas nas obras de Piet Mondrian, são tão bonitas que você vai ficar chateado em abri-las.

 

 

 

3. Caffè Al Bicerin, Turim

Ph: Paul Dykes

 

Enquanto o Barista Parlor e o Onibus Coffee refletem as tendências mais modernas do café global, o Caffè Al Bicerin não está a fim em interiores minimalistas ou baristas com aquelas barbas estilosas, com camisetas e aventais descolados. Aqui a ideia é a la vecchia scuola. Os donos – historicamente, a maioria mulher – têm servido a infusão de Torino, bicerin, desde 1763, dá para sentir o cheiro de história. Você pode sentar na mesa favorita de Camillo Benso di Cavour, o primeiro ministro da Itália; o autor Alexandre Dumas e o filósofo Friedrich Nietzsche também beberam seu cafézinho aqui. O compositor Giacomo Puccini compôs o Manon Lescaut nas mesas deste café, antes de Arturo Toscanini conduzir sua estréia mundial no Teatro Regio, em 1893. O Bicerin pode desanimar quem gosta do café tradicional, por exemplo, eles servem um super chocolate quente com uma camada de espresso e creme no topo. Mas a bebida, nomeada por causa do copo em que é servida, foi amada pelos locais, ricos e pobres, por mais de 2 séculos. Assim como a cafeteria que o inventou e pegou seu nome. Sentado na frente do Santuario della Consolata, uma das maiores basílicas da cidade, o ‘n poc ‘d tut (um pouco de tudo), transforma-se num boost açucarado para aqueles que jejuaram para a comunhão. Com grande parte da construção mantendo-se a mesma desde os anos de 1800, incluindo o balcão central, não é um local para um espresso rápido. É um lugar para ficar um bom tempo e beber toda sua história, talvez com um pedaço de torta di nocciole.

 

 

 

4. Drop Coffee, Estocolmo

Ph: Drop Coffee

 

O Drop Coffee começou como uma cafeteria pequena, com um forninho para roast os grãos, em 2009. Apenas 3 anos depois, eles jea estavam produzindo a um acapacidade 25 vezes maior e  fornecendo grãos java para um dos melhores coffee shops do mundo, de Londres à Berlim e Nova York. A razão para esse rápido crescimento? Os Swedes amam café, seja na correria da manhã ou um copinho durante uma tarde mais calma com pãezinhos de cardomomo quentinhos. Stephen Leighton, se juntou à empresaa em 2015, e junto com sua sócia e campeã sueca, Joanna Alm, o Drop Coffee ganhou prêmios em várias partes da Suécia e ficou em segundo no campeonato mundial de coffee makers em 2015.

 

 

 

5. The Coffee Collective, Copenhagen

Ph: Chris Tonnesen

 

Depois de começar como um pequeno armazém, o The Coffee Collective agora está em 4 lugares na cidade que é louca por café. A maior location fica em uma antiga construção industrial em Frederiksberg, a mais nova está no centro da cidade e é a favorita dos passageiros da estação Nørreport. A filial mais recente, Jægersborggad é a mais chic. Foi desenhada para parecer um apartamento, com os funcionários te servindo direto da cozinha. Os móveis são simples em mandeira, em cinza e branco Scandi, e receberam um boost de cor com retratos enormes de pessoas que plantavam os grãos. O The Coffee Collective, como o nome sugere, adora exibir suas credenciais de Direct Trade mostrando fotos dos produtores do Quênia, Guatemala e Etiópia. Dê um pulo lá para se esquentar do frio de Copenhagen, e quem sabe você fique para os cursos de barista ou aulas de degustação de café que são oferecidas no local.

 

 

 

6. Eightfold Coffee, Los Angeles

Ph: Yuki Shingai Newport

 

Minimalista, leve, super fofo, descolado e artístico. O Eightfold, que abriu no fim de 2015, está dentro do Echo Park, um dos bairros mais cool de Los Angeles. A dona, Soo Kim, veio de Nova York para LA com mais dom para o design do que para servir café. Isso fica óbvio com as prateleiras de madeira na parede e o balcão em mármore, mas o café também é excelente. Eles vendem café com exclusividade do super Heart Roasters, de Portland (junto com chá verde de Kyoto).

 

 

 

7. Single O, Sidney


Ph: Single O

 

Seria negligência, na busca pelas cafeterias mais interessantes do mundo, pular o berço da cultura new-wave de café. Então vamos para a Austrália, casa do Single O, em Sidney. Que foi aberto há cerca de 15 anos, como Single Origin Roasters, em Surry Hills. Além da cafeteria, o time da Single O já abriu uma filial em Botany (que vende por atacado) e cafeteria de degustação em Tóquio. Se isso não dá uma noção da ambição deles, então que tal o envolvimento na invenção do The Juggler? Um sistema para armazenar o leite gelado que dispensa o uso de garrafas de plástico. Além disso, a ideia de ter uma linha de produtos sob peculiar ética, é tratada seriamente. A produção em Botany funciona com energia solar, e o Single O começou um programa de cafés de refil grátis  para enfrentar a praga de disperdício copos de café de papel.

SHOWHIDE Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

@lifestylemag

Cosmopolitan and authentic, Lifestyle Mag is one of the publications of Claur; born in São Paulo and made with love in New York City.

Thanks babe!

error: Content is protected !!