Get your exclusive copy
MADE JUST FOR YOU

BUY ON DEMAND

CHAT WITH US!
Text Lifestyle Mag on:

What's App

Italian Treasures

Parma e Modena, duas cidades que, para quem conhece um pouco da Itália, já fica com água na boca. Sendo destinos bem clássicos de viagem, capazes de nos teletransportar para momentos mais simples de um passado não tão distante, essas cidades têm experiências únicas a oferecer e uma vasta história para nos contar.

Por Wallace Rezende e Claudia Ribeiro

História essa que está entrelaçada com a nossa aqui do Brasil, afinal de contas, somos a maior população italiana fora da Itália. Se concentrando principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro, os descendentes de italianos trouxeram muito da cultura do país para as nossas terras, mas indo muito além dos laços de sangue, Parma e Modena deixaram muitos bens imateriais para a humanidade.

De Modena, herdamos o vinagre Balsâmico, o vinho Lambrusco e todas as receitas deliciosas que a região criou, desde a Salada à Modena, até o Gnocco frito. De Parma, herdamos o Parmigiano Reggiano, o rei dos queijos, Prosciutto Crudo, o Pesto di Cavallo e mais.

Que tal falarmos um pouco sobre essas cidades super gostosas nessa matéria? Aproveitando o reaquecimento do turismo e a flexibilização das viagens internacionais, vai que agora você já define seu próximo destino, para estrear aquele look que você montou e ainda não soube onde usar.

Um pouco sobre Parma, uma cidade de elegância

A elegância de Parma pode ser sentida em todos os cantos da cidade. Tanto por conta da história que aqui emana de todas as construções, quanto por conta de sua prosperidade. Parma é uma das cidades mais bem sucedidas de toda a região de Emilia Romagna. Muito disso se deve à produção de todos os seus itens tradicionais, quer estejamos falando do Parmigiano Reggiano (o clássico e inconfundível parmesão), o prosciutto, ou mesmo a famosíssima grife de perfumes: Acqua di Parma.

Basta caminhar pelos arredores da Piazza Garibaldi para ver diversas lojas de grifes de roupas, perfumes e joias. Nesse conceito, a cidade está bem mais voltada para a atenção dos turistas que a manutenção cultural, mas não significa que você não terá acesso à sua porção de história. Basta seguir à Piazza Duomo e você encontrará um dos maiores domos em catedrais do norte da Itália.

Com lindas pinturas, arabescos hiper intrincados e uma ambientação simplesmente divina, a Catedral é um ambiente lindo para fotografias, meditação, conexão com o divino, ou simplesmente para o relaxamento depois de flanar pelas lojas e vitrines da cidade.


Se afastando um pouco do centro da cidade, existem algumas experiências bem divertidas que você pode ter em Parma. Algumas delas seriam:

Visita à Piazza della Pace

Ir à essa praça implica em um passeio a diversos pontos turísticos. É aqui que fica a área universitária da cidade, então você poderá encontrar desde bibliotecas, sebos, teatros, museus e cafés. O local é um espetáculo, e a área verde nos convida para uma foto;

Galleria Nazionale:

Esse museu de arte é um dos mais importantes da região. Com obras que vão do século XIII até o XIX, a Galleria Nazionale tem coleções de diversos autores, escolas e mestres, sendo uma exposição vasta e extremamente rica;

Teatro Regio

Não poderíamos deixar de falar no Teatro Regio, que atualmente faz cerca de quatro óperas a cada temporada de meados de janeiro à abril. Anualmente, grandes nomes da ópera aparecem aqui e dão um verdadeiro espetáculo de música e de capacidade sonora. O teatro por si só é um show a parte, com suas cabines privativas, arquitetura emblemática e com uma cúpula majestosa, pintada com uma riqueza de detalhes impecável.


Agora vamos a um tour à parte as comidinhas. A Itália é famosa por sua gastronomia, porém é na região de Parma, Emilio Reggio e Modena, que alguns dos – ingredientes – usados na gastronomia são feitos.

Na região do queijo mais famoso da Itália e do prosciutto mais procurado do mundo, não poderia faltar uma tour com explicações a respeito do modo de produção, não é mesmo? Em Parma você pode encontrar tanto algumas visitas que se passam em algumas horas, quanto passeios e excursões que podem até mesmo te levar para fora da cidade, explorando fazendas, trattorias e mais; Nossa dica é, visite o app Viator e por ali você pode reservar e pagar pelos tours. Eu Claudia o fiz e adorei. As empresas mais bem rankiadas te buscam no hotel logo cedo e em um dia você consegue fazer a experiência do queijo, do presunto e do vinagre balsâmico. Se não tiver pressa como eu, você pode fazê-los em dois dias. 

Parmigiano-Reggiano E Os Monges

Conhecido como “O Rei dos Queijos”, o  Parmigiano-Reggiano é um dos mais antigos do mundo, há registros sobre o uso do queijo em receitas datadas de 1254, e foi criado por monges que buscavam um queijo que fosse menos perecível. Acho importante dividir com vocês alguns detalhes que aprendi nos tours e as razões que fazem essas especiarias serem tão famosas mundo afora. A resposta? O controle de qualidade. Assim como na região de Champagne você encontra a famosa bebida francesa e nowhere else. Daí então na região de Parma e Reggio-Emilia (dois lugares diferentes) você tem o Parmigiano-Reggiano, nome composto pois o queijo pode ser produzido somente por fabricantes dessas duas regiões e é protegido pelo Consorzio Parmegiano Reggiano e é reconhecido na lista PDO. E o que é PDO? A sigla significa “Protected Designation of Origin”, um selo com um tipo de indicaçnao geográfica da União Européia e do Reino Unido que visa preservar as denominações de produtos alimentares. Agora te explico algo que vai blow your mind. Quando você chega em um restaurante nos Estados Unidos por exemplo, e te oferecem um “Parmesan”. Ele não é o tal queijo feito na Itália, e isso está gerando uma briga enorme entre os dois países. O FDA (U.S. Federal Food and Drug Administration) diz que Parmesan é o queijo feito, no mesmo processo do italiano, porém os tipos de leite usados e o que vai na tal mistura, é uma verdadeira bagunça. Pode ser leite desnatado, creme de leite, leite integral e até água, sim água. Além disso qualquer um pode produzi-lo, qualquer região, então não existe um real controle de qualidade. Se eu como esse queijo? Como, porém só como no formato de queijo ralado para uma pasta por exemplo e não comer a peça de queijo como um apertivo ou cozinhar, porque seria um verdadeiro desperdício mudar a temperatura do verdadeiro queijo feito na Itália.

São apenas 330 produtores que fornecem o queijo para o mundo todo, acredita? As regiões consideradas como oficiais para a produção são exclusivamente: Parma, Reggio-Emilia, Modena, Bologna (somente à esquerda do rio Reno) e Mântua (somente à direita do rio Po).

Para uma peça de queijo, são necessários 150 litros de leite, e as vacas são especialmente cuidadas com massagens ao longo do dia e servidas com uma grama especial orgânica. O queijo é 100% natural, não existem processos químicos. E o mais interessante, como vinho, o queijo também tem um tempo de maturação, alguns por um ano, indo até 24 meses. Sua textura vai mudando e o mestre dos queijos, uma espécie de verificador do controle de qualidade pertencente ao consórcio da região, avalia cada peça e cada fabricante. Ele vai com um martelinho batendo cada unidade, e dependendo do som emitido, consegue-se atestar se existe ar, se existem más formações e daí então se classifica o queijo como “  “Parmigiano-Reggiano (first class), Parmegiano-Reggiano Mezzano (com algumas bolhinhas, second class) e o terceiro é genericamente chamado de Sbiancato, mas não é um nome oficial” comenta Mattia Brianti, nosso guide dessa experiência.


Depois partimos para a classificação do queijo mais puro:

12-18 meses: Aromas de iogurte e frutas frescas. Quebrável, delicado.

22-24 meses: Textura granulada, com sabores equilibrados de frutas secas.

30-36 meses: Bem quebradiço, granulado. Notas de nozes tostadas e caldo de carne.

Mais de 40 meses: Textura em camadas, complexa e muito rígida.


Prosciutto di Parma

Passamos a outra delícia e outro tour que fiz, o Prosciutto di Parma. Após alguns minutos subindo e subindo a região, me deparo com um lindo vale, a fábrica fica no topo de uma montanha. E é essa uma das características mais marcantes desse presunto, a localização. O sabor específico do produto, se dá pela criação do ambiente ideal climático criado por colinas ao redor de Parma formadas pela brisa marítima vinda do mar Adriático e as montanhas Apeninnes. Na primavera após devidamente cortadas e verificadas, as peças dos Prosciutto vao para uma sala específica e alí abrem-se as janelas para que a brisa das montanhas e do mar criem o perfeito blend que dão o sabor que somente o Prosciutto di parma pode oferecer. A peça deve pesar entre 15 a 18 quilos, também não recebe nenhum tipo de química, passando por uma produção totalmente artesanal e uma maturação de dois anos com regulares e meticulosas inspeções de cada peça. 

Essas são algumas das várias experiências que você pode ter em Parma. Diversas outras podem surgir destas que comentamos, basta que você se deixe levar pelos ventos criativos de Parma para aproveitar a oportunidade. Que tal agora sabermos alguns detalhes mais sobre o que fazer em Modena, mas antes, uma breve introdução sobre a cidade e a região.

A capital espiritual, Modena

Na região da Emilia, Modena é considerada a capital espiritual. O motivo disso? Bem, é aqui que a comida da região nasce e floresce, onde a cultura se encontra em seu estado mais bruto, digamos assim. Foi em Modena que o tenor Luciano Pavarotti nasceu, e onde os famosos carros italianos tomaram forma: a Lamborghini, a Ferrari e Maserati.

Claro: Bologna ainda carrega consigo o título de capital da província, mas não podemos negar que historicamente, Modena parece ter trazido ao mundo um amplo leque de influências, criações e cultura.

É aqui que podemos encontrar a Catedral de Modena, um prédio romanesco importantíssimo, que carrega em si tanto a forma imponente da arquitetura romana, quanto incrições históricas que nos ajudam até hoje a entender melhor o Império Romano.

Em Modena, uma experiência que não pode faltar é o tour pelos produtores do Aceto Balsamico di Modena.

Artesanato Em Forma de Vinagre

Visitamos um lugar especial, a produção do Aceto di Modena de Giuseppe Giusti que teve suas portas abertas em 1605. Nesse tour, você poderá passear pelo  Museu Giusti, que oferece uma viagem extraordinária por uma coleção inestimável de objetos e documentos preservados por gerações: desde os antigos jarros usados ​​para conservação, até as ferramentas usadas ao longo dos séculos pelos fabricantes de vinagre, até as primeiras garrafas e folhetos publicitários do início do século XX. Entre as recordações mais preciosas estão os barris seculares, como o barril “A3” com o qual, por ocasião da Exposição Italiana organizada pela família real de Savoy em Florença, 1861, Giuseppe Giusti foi premiado com uma medalha de ouro por um “ vinagre balsâmico de 90 anos”. Através de documentos e objetos antigos do comércio, o Museu traça a história do vinagre balsâmico de Modena e sua ligação com a família Giusti. A qualidade do Vinagre Balsâmico aqui é literalmente majestoso. O rei da Itália Vittorio Emanuele III concedeu em 1929 o título de “Fornecedor da Casa Real de Savoy”. Concedendo a Giusti o privilégio de exibir o Selo de Aprovação Real, ainda hoje incorporado em todos os Vinagres Balsâmico Giusti.


Além dessa experiência maravilhosa, reunimos outros super tours e dicas de coisas para fazer por ali:

Experiências Ferrari:

Com tanto Fuzz em torno da Ferrari, e com as fábricas rodeando Módena, é certo que a fábrica iria prover algum tipo de experiência imersiva, não é? Pela marca são oferecidas visitas ao Museu Ferrari, passeio diurno pela fábrica, assim como uma visita aos museus Lamborghini. Nesses espaços é possível ver alguns protótipos de carros, antigos modelos que saíram de circulação, assim como algumas explicações a respeito do que faz dos carros da marca tão conhecidos e adorados pelos amantes da velocidade;

Caminhada partindo da Piazza Roma:

Uma caminhada por Módena que começa pela Piazza Roma abre portas para diversos encontros mágicos, a começar pelo Palazzo Ducale Modena, seguindo pelo Teatro Comunale Luciano Pavarotti, a Via Emilia (uma rua super chique, cheia de lojas, cafés e bancas de souvenirs), passando à Piazza Grande e a Piazza Mazzini. Todos esses destinos são icônicos e bem especiais, ideais para conhecer a Modena que os italianos vivem;

Europa’92:

Se você quer almoçar num lugar especial, o Europa’92 é a sua pedida. Essa restaurante se situa na casa onde viveu Pavarotti, e sempre que organizado, os garçons fazem shows de canto. Se quiser saber mais sobre a programação, basta consultar o Ristorante Europa 92 no Google para encontrar o site oficial;

Osteria Francescana:

Para finalizar nossas dicas essenciais, não poderíamos deixar de citar a Osteria Francescana, o restaurante de Massimo Bottura, considerado um dos melhores restaurantes de todo o mundo, e um ícone para diversos outros restaurantes italianos ao redor do mundo. Vale lembrar que o restaurante fica a um quarteirão de distância da Sala Truffaut, um cinema com vibe undergound, onde você pode aproveitar um pouco da produção alternativa local e mergulhar ainda mais no cenário cultural de Modena.


Essas são as nossas 5 dicas essenciais de Modena, algo como um head start para que você saiba por onde começar. Uma vez que a viagem começa, existe algo sobre o destino e sobre como ele molda nossos dias em aventuras no exterior. É um pouco por saber disso que decidi trazer algumas dicas bem minhas para vocês.

O que procurar em Parma e Modena

Tenho para mim que as oportunidades de uma boa viagem se escondem em cada esquina. Busco sempre uma experiência imersiva, espontânea e que me traga algum tipo de entendimento sobre a dinâmica do local. Por isso, sempre me proponho a ficar em um AirBnb, para que eu possa ocasionalmente preparar uma refeição própria. E é com isso que procuro me ocupar no primeiro ou segundo dia: buscar o mercado mais próximo e comprar ingredientes para um prato típico.

Na região de Emilia-Romagna, o que não faltam são ingredientes deliciosos para você testar, e nos mercados italianos você encontra temperos vindos de todas as regiões, como pimentas e flores toscanas ou sais venezianos. Escolha os itens com que quer trabalhar e mãos à obra. No caminho de ida e vinda do mercado, você certamente já se encontrará com alguns pontos turísticos.

Outra dica que costumo dar e que tenho para mim em todas as viagens é: se permita improvisar. Alguns imprevistos podem acontecer, restaurantes podem estar cheios, um museu pode estar fechado e uma experiência pode ser cancelada. Nesse momento, não existe espaço para ficar com a energia para baixo – que tal visitar uma livraria, biblioteca ou parque local? Muitos deles possuem vistas incríveis da cidade, e você poderá encontrar um ângulo que poucos se permitem experimentar.

Crie momentos só seus, busque os eventos e os monumentos que lhe agradam. Nem todas as viagens precisam de um checklist. Dê uma olhadinha em nossa listagem, se inspire nela e tome o seu norte. Tenho toda a certeza que você vai conseguir chegar ao fim de sua viagem com a sensação de alívio, de ter exercitado sua criatividade de uma maneira única, que sua viagem foi realmente sua, e que só você poderia ter vivido as experiências como viveu.

Informações gerais de lugares que recomendamos:

Claudia se hospedeu em Parma no Hotel de La Ville, mas existem também o NH entre outros. Para o tour, fizemos reservas pelo App Aviator, você pode selecionar e comprar o tour que fizemos nesselink aqui.

Se perca em Parma e Modena

Bem, essas são as nossas dicas, nossas experiências recomendadas. Para finalizar, a saideira: não deixe de aproveitar os rótulos deliciosos de vinhos e espumantes que você pode comprar até mesmo no supermercado.

Divirta-se e faça dessa viagem uma que jamais esquecerá. Esperamos que essa matéria te ajude a alcançar esse objetivo.