Get your exclusive copy
MADE JUST FOR YOU

BUY ON DEMAND

CHAT WITH US!
Text Lifestyle Mag on:

What's App

Raphael Vidigal

A Pernod Ricard é uma empresa focada e especializada na fabricação de vinhos e diversas outras bebidas alcoólicas. Sendo o segundo maior grupo de bebidas alcoólicas do mundo, perdendo apenas para a Diageo, ela chama a atenção por ter consigo não somente alguns dos maiores nomes de bebidas do mundo, como também contar com profissionais do mais alto calibre.

Hoje temos a oportunidade de conversar com um desses grandes profissionais: Raphael Vidigal, Head of Prestige Brands na Pernod-Ricard Brasil.

Que tal aprender um pouco mais sobre a marca com ele que está à frente dos rótulos de maior prestígio na Pernod-Ricard, assim como, conferir como esse brasileiro chegou a um cargo de tamanha importância nessa multinacional francesa.


LM: A Pernod Ricard é uma líder global no segmento de bebidas premium. Combinando diversos artifícios, a marca é reconhecida por ser capaz de agregar valor aos produtos por meio de experiências e relacionamento próximo com clientes de alto poder aquisitivo. Mas, essa é apenas a descrição do mercado. Como você definiria o produto da Pernod Ricard?
R: Descrevo a Pernod-Ricard como uma criadora de convivência, criamos ou adquirimos produtos com um olhar para a sua finalidade para os diversos momentos ou necessidades de consumo de nossos clientes ou potenciais clientes. Isso sem perder nosso foco principal, zelar por uma qualidade impecável, que demonstra nossa resiliência ao longo dos anos e a liderança do mercado Super Premium globalmente.

Unindo essas duas partes, há a criação das experiências para poder demonstrar ao consumidor, de forma sofisticada muita das vezes, as versatilidades de nosso vasto portfólio em momentos que irão eternizar em suas memórias os prazeres e detalhes de cada uma de nossas marcas.


LM: A Pernod Ricard tem sido aplaudida nacionalmente e mundialmente por conta das medidas de diminuição da geração de Carbono, assim como de produção de lixo. Tudo isso, mantendo taxas de crescimento da marca e garantindo a lucratividade do empreendimento. Quais outras iniciativas estão no radar da empresa? Você, enquanto Head de Prestige Brands, pretende aplicar esforços rumo a um norte específico?
R: Com certeza esse é um dos mantras para o mundo do futuro, no qual queremos que não só a Pernod-Ricard, mas que toda a humanidade possa continuar a ter seus momentos de convivência em um mundo mais limpo. Nós como subsidiárias, temos um papel importante de transmitir essas iniciativas e garantir a sustentabilidade futura não só nas nossas produções de bebidas, mas também, de como nos comunicamos e como são produzidos os materiais localmente. Temos uma missão forte de tentar reduzir ao máximo a produção de materiais que são nocivos à natureza, como taças plásticas por exemplo, que estão gradativamente sendo trocadas por bio copos. Nossas plataformas de comunicação são totalmente digitalizadas, evitando impressões de papel, seja de um cartão de visitas, ou assinaturas de contratos. Um modelo de compras 100% digital, para que também evite o desperdício de papel nessas transações diárias e até iniciativas menores como a não utilização de copos plásticos na dependência de nossas facilities, dentre outros.


LM: Sabemos que é difícil escolher uma unidade dentre uma lista de coisas amadas, quer sejam nossas músicas favoritas, pratos ou rótulos de bebidas. Mesmo sendo uma tarefa árdua, queríamos te perguntar: qual o seu rótulo predileto dentre os itens Pernod Ricard?
R: Uma boa pergunta! Eu acredito muito nos momentos de lazer, não posso dizer que tenho um produto predileto, vai muito do momento de consumo. Por exemplo.: Quando estou em uma celebração de amigos e negócios em casa, gosto muito de dividir este momento com um belo whisky como o Royal Salute, entretanto, se estou em um jantar em um restaurante sofisticado, gosto de acompanhar este com um champagne Perrier-Jouët, se estou em uma festa, vou tender a desfrutar de um Monkey 47 e tônica. Tudo vai do momento do seu dia, pois as marcas são muito interessantes. Mas, gosto de frisar que me agrada muito os rótulos do Cognac Martell dentro do nosso portfólio.

LM: Raphael, pode contar pra gente um pouco de sua trajetória até o cargo que você está hoje? Quais teriam sido os destaques principais de sua carreira até hoje, que lhe marcaram e moldaram o profissional que é hoje?
R: Eu, desde o início da minha carreira profissional, sempre trabalhei no universo de bebidas e do mercado de luxo, entretanto, acredito que meus destaques tenham sido principalmente trazer para as empresas nas quais trabalhei e trabalho atualmente, as visões de uma pessoa que está circulando, vendo as oportunidades de mercado. Outro destaque seria a resiliência em acreditar no sucesso dos negócios. 

Quando mais jovem, tive a oportunidade de acelerar marcas pequenas e que hoje estão seguindo muito bem no mercado local e global como o champagne Dom Pérignon e a Vodka Belvedere, a qual, pelo o sucesso que tivemos na época, fui convidado a ser Board Member com uma cadeira cativa nas decisões globais da marca, e também trabalhar com outros produtos como marketing manager na LVMH. 

Entretanto, na época, vi uma grande oportunidade no universo das bebidas com o Gin, que ainda era muito pequeno e estava começando a ser falado no país. Observei, isso faz uns 7 anos atrás, que a tendência e o crescimento exponencial (mesmo que pequeno em 2016) o mercado seria tão importante ou maior que o da vodka. No fim de 2018, fui convidado por Thibault Cuny, hoje CEO da PR Índia e Emirados, a desenvolver uma business development do mercado das bebidas de Luxo da Pernod Ricard Brasil, a fim de acelerar um portfólio vasto o qual incluía o gin e outras marcas apaixonantes, o que não me fez hesitar em fazer a mudança. 

Com isso, o portfólio sob minha gestão e de minha querida equipe, com 12 marcas sendo geridas e frentes de vendas, marketing e iniciativas digitais, este ano, irá entregar um crescimento de faturamento de 800% em cima do que era feito quando entrei para gerir as marcas, com uma grande eficiência média de 59% de margem e um faturamento acima de 80 milhões de reais.

“Fico feliz em olhar para trás e ver todo esse crescimento que foi adquirido com muita raça, perseverança, e olhar na inovação. Iniciativas de eficiência seja com os nossos distribuidores, contratos com nossos parceiros e um forte relacionamento, assim como a aceleração digital, nos guiaram para o sucesso da área como um todo.”

LM: Saindo um pouco do cerne do trabalho, conta pra gente o que lhe mantém em seu eixo – o que Raphael Vidigal faz por Raphael Vidigal?
R: Gosto muito de estar com pessoas, principalmente amigos e líderes que possuem uma história para contar, sou muito observador e gosto de aprender com essas referências de sucesso ao longo da minha semana. Sou muito grato pelas minhas amizades e minha família. Eu e minha esposa gostamos de viajar nos fins de semana, seja para praia ou para a fazenda dela no interior. Digo que sou um ser líquido, como dizia Baumann, vou me adaptando como a água para os diferentes momentos como nossas aulas na academia, corridas à beira mar, trilhas de bicicleta, shows de rock (sou apaixonado em música), visitas a museus e a obras de arte, jantares harmonizados e até mesmo tempos para degustar uma boa bebida acompanhada de um bom charuto.

“Enfim, sou um homem hiperativo, cuja inquietude e vontade de aprender um pouco de tudo, me dá o prazer de viver.”

LM: Para um dia ser produtivo, leve e terminar com um saldo positivo, qual a sua checklist? Meditar, se exercitar, fazer reuniões? O que garante que você está em seu melhor estado para produzir?
R: Eu gosto de dividir meu tempo em 2 horários, a manhã para responder meu e-mails e a tarde para marcar as reuniões de negócio. Entretanto, algo que está me ajudando muito a focar, é a volta aos esportes. Desde criança amo fazer esporte, fui vice campeão sul americano de natação quando bem jovem, hoje me encontro em uma fase que a bicicleta e aulas de spinning me ajudam bastante a desopilar a cabeça da vida corrida, e gosto muito de ter leituras sobre diferentes segmentos, como tech, agro, moda, até mesmo automobilístico, gosto de estar inteirado de tudo um pouco, principalmente das boas práticas que eu posso fazer de inspiração para o meu negócio.


LM: Não podemos mentir: procuramos um pouco sobre você na internet antes dessa entrevista, e algo nos chamou a atenção – você é bem Low Profile, não é? É o seu objetivo? Manter-se mais privativo quanto à sua vida pessoal?
R: Posso dizer que sou low profile nas redes sociais, não gosto de expor muito minha vida privada e de minha esposa por conta de segurança, entretanto, acredito que na vida off line, sou bastante conhecido, mesmo com a minha mente cada vez mais crescente para as iniciativas digitais, gosto muito de estar fisicamente com as pessoas. (risos)


LM: Metaverso, e-Commerce, NFTs, esses e outras dezenas de termos têm aparecido em nosso mundo ultimamente. Como você tem se sentido diante dessa cada vez maior virtualização do mundo? Na transformação do material no intangível?
R: Desde cedo apostei nesse caminho sem volta do comércio e do futuro das relações interpessoais. Entretanto, desde 2019, apoiando nosso projeto de comunidade fechada virtual, hoje remodelada para o nome Le Cercle, a qual nós estamos tendo bastante sucesso atualmente com crescimentos triplo dígito e um ticket médio por cliente poderoso, assim como lançamentos de produtos que foram 100% virtuais, como o nosso whisky Aberlour com a Amazon, o qual, sem mesmo ter pisado em terras brasileiras, tomou o 1 lugar em vendas de whisky durante 1 semana no site e o 1 lugar de bebidas e destilados. Gosto muito de levar as experiências do físico para o digital, como a facilidade hoje de termos palestras de nomes fortes da indústria como o Sandy Hyslop, master blender de Royal Salute, Chivas e The Glenlivet para a audiência local, assim como a venda de experiências físicas de forma exponencial em nossas plataformas, e a amplificação de conhecimento e educação via as plataformas digitais.

Hoje, estou estudando bastante o universo de NFT, a qual a Pernod Ricard lançou a 1 garrafa de destilado nessa modalidade em uma edição limitada de Royal Salute pelo estilista Richard Quinn, como a comercialização de nossos produtos com compras derivadas de Criptomoedas, é um futuro sem volta que estamos estudando bastante.

Perante o Metaverso, o qual nos anima bastante, estamos estudando as possibilidades de acelerar nesse novo universo de forma ética e dentro das leis. Nossa indústria precisa se precaver bastante e ser bastante ética para não atingir pessoas legalmente não aptas a consumir o nosso produto, entretanto, um trabalho ainda a ser construído para o futuro, assim conseguirmos resguardar os espectadores menores de idades de uma comunicação massiva dentro dessa nova realidade.

LM: Existe algum projeto seu, pessoal ou profissional, que você está particularmente animado? Se sim, conta pra gente um pouco mais.
R: Por hora só trabalhar nos projetos internos com a visão de crescimento futuro que demandam muito do meu tempo. Temos 2 lançamentos bastante aguardados no Brasil o qual estou bastante animado em concluir, um de Royal Salute com Richard Quinn e o outro é o lançamento de Perrier-Jouët Blanc de Blanc non vintage, que virá pela primeira vez para a América Latina,  porém, venho tentando ajudar minha família com seus projetos pessoais no ramo de construção e agro.


LM: Agora, para concluir, se você pudesse dar algumas dicas para jovens que iniciam hoje suas carreiras em Business, o que você falaria para esses novos profissionais?
R: Olha, quem sou eu para dar dicas de negócios, mas, eu acredito que seria um composto de competência, proatividade, visão e sorte para ir além. Sugiro estudar ao máximo sobre o seu segmento e como construir marcas, serviços e/ou produtos com solidez futura, estar sempre atualizado das novas práticas de mercado, impostos e modelos de eficiência na gestão. Como gerar valor e crescimento sustentável colocando uma meta de tempo, e o mais importante, como as novas tecnologias podem agregar para melhorar os processos e aumento de penetração e conhecimento do seu negócio.

“Tenha seus alicerces e parceiros comerciais, você não cresce sozinho, talvez até consiga, mas será um caminho muito mais difícil.”


Respostas incríveis de um profissional inegavelmente único. Certamente nos deixou bastante curiosos sobre o que está por vir aí pela frente, não somente para a Pernod-Ricard, mas também para o próprio mercado nacional e internacional ao interagir com o metaverso.

Esse foi Raphael Vidigal, primeiro convidado de nosso Business Bites. Se você gostou dessa proposta e quer conhecer nossos próximos convidados, não deixe de conferir nossa próxima edição.