Get your exclusive copy
MADE JUST FOR YOU

PRE-ORDER

CHAT WITH US!
Text Lifestyle Mag on:

What's App
STORIES AND NEWS

“The Ritz Is My Home”: conheça a suíte Coco Chanel no Ritz Paris

Heloisa Lima

Um dos hotéis mais prestigiados de Paris foi o lar de Coco Chanel ao longo de sua vida. O Ritz, conhecido como um dos primeiros hotéis-palácios parisienses e um dos maiores do mundo, foi onde a estilista escolheu para passar seus melhores momentos. Inaugurado em 1906, o local criado pelo famoso hoteleiro César Ritz, tinha como objetivo principal tornar- se o destino final para os hóspedes que procuram se hospedar com muito luxo e extremo conforto.

Embora a estilista tivesse um andar dedicado a um apartamento privativo luxuoso dentro de sua loja na Rue de Cambon, há poucos metros dali, a estilista decidiu se mudar para o Ritz em 1937 tornando a suíte nº 302 seu novo lar. Não demorou muito para que Gabrielle se sentisse em casa em meio ao luxo e elegância do hotel, e aos poucos, foi complementando a decoração com seus móveis favoritos até redecorar todo o espaço.

 

A suíte nº 302 foi a casa de Coco Chanel por 34 anos, sendo sua casa até seus últimos dias de vida. Em sua homenagem, o quarto foi renovado e inaugurado com o nome de “The Coco Chanel Suite”. A partir do fim da renovação, a suíte, agora aberta ao público, realizou o sonho dos inúmeros fãs da estilista em todo o mundo.

Legenda

Apesar de uma vida toda de sucesso, em 2012, o hotel fechou para um extensa reforma de quatro anos e a suíte passou por uma segunda reforma, e dessa vez, foi movida para um andar abaixo, suíte 202, para proporcionar uma melhor visão da Place Vendôme e sua famoso coluna – uma cena impressionante que inspirou a tampa octogonal do primeiro perfume da Chanel – o Chanel No. 5.

 

A restauração do novo quarto contou com a ajuda de Karl Lagerfeld, que esteve à frente da marca Chanel por 36 anos, para recriar o mundo de Coco Chanel. O auxílio do estilista rendeu à nova suíte tecidos, móveis e uma decoração única em cada centímetro da suíte 202.

 

“O Ritz é minha casa”, ela dizia aos visitantes que admiravam seus lustres de cristal de rocha e coleção de arte, sua suíte era um mundo atemporal e o Ritz Paris o preservou com maestria.